Unschooling
Alex Polikowsky

I am going to make a point and maybe it is not the case of the mom above [this was originally on the Unschooling Basics list] but it may be the case for others new to unschooling. I am making this point because I have seen it and I have seen it in person and it does not work and the results are not pretty and have nothing to do with unschooling and being a mindful parent.

Unschooling is not letting children take care of themselves or work out things alone or without help and guidance, it is not letting them do whatever they want, it is not about freedom, it is not about only saying yes, it is not about letting them figure out things by themselves, it is not child-led learning.


Unschooling takes more, more presence, more guidance, more attention, more mindfulness, more connection, more thinking and questioning, more choices and better choices.


There are some people that come to unschooling because they read blogs or ideas of families having fun and going about doing fun things and not being bogged down by a curriculum or rules and control. They may read a little and think all they have to do is not have rules, not have curriculum, not have bedimes, not have limits in TV, computers and food.


What they are not reading is all the things an unschooling parent IS doing. They are sitting and playing computer games with their children, they are present, attentive, connected, facilitating, guiding, preventing, strewing, sharing, discovering together, learning right along, creating a learning environment, interested and interesting.

So if you are new to unschooling Sandra has a good suggestion: Read a little, try a little, wait a while, watch.


It takes time to get it. I have been reading and applying unschooling in my home for almost eight years and I am still getting it. It takes time to deschool. Most of us has a minimum of 13 years of schooling and some way more. Ask questions and just sit on the answers, re-read them, think about them, read them again, try them, wait a while and watch!

So all this to say that if someone comes to usnchooling thinking that it will be just sitting there while the kids fend for themselves and it is a piece of cake think again! That is not to say it is not wonderful and yes easier and more peaceful, but not in the way many think it is.

Alex Polikowsky

Vou falar sobre algo que talvez não seja o caso da pessoa que escreveu [isto aconteceu numa discussão no fórum de discussão online chamado "Unschooling Basics"], mas que pode ser o caso de pais para quem o "unschooling" seja uma novidade. Vou falar sobre isso porque eu já vi acontecer pessoalmente, e não funciona e não tem nada a ver com "unschooling" ou com ser um pai atento, presente e consciente ["mindful"].

"Unschooling" não é deixar as crianças a tomar conta delas próprias ou a resolverem situações sozinhas, sem ajuda ou uma pessoa para as guiar. Não é deixar as crianças fazerem tudo o que querem, não é sobre liberdade, não é sobre só dizer sim, não é sobre deixá-las, as crianças, resolver/descobrir coisas sozinhas, não é sobre crianças que se ensinam ou lideram a sua aprendizagem.

"Unschooling" precisa de mais, mais presença (dos pais), mais direcção/orientação, mais atenção, que os pais estejam mais conscientes, presentes, atentos [de novo "mindful"], precisa de maior conexão entre pais e filhos, mais questionamento e que se pondere mais, mais escolhas (mais possibilidades para as crianças) e melhores escolhas (por parte dos pais).

Há algumas pessoas que pretendem fazer "unschooling" porque leram blogs ou ideias de famílias a divertirem-se e a fazerem coisas divertidas, sem estarem presas a um currículo, ou a regras e controlo. É possível que leiam um pouco e pensem que tudo o que têm a fazer é não ter regras, não haver currículo, não haver horários de dormidas, não haver limites relativamente à televisão, aos computadores e à comida.

O que essas pessoas não estão a ler são todas as coisas que um pai "unschooler" ESTÁ a fazer. Os pais "unschoolers" estão sentados a jogar computador com os seus filhos, estão presentes, estão atentos e são atenciosos, ligados, facilitando, guiando, prevenindo, espalhando coisas diversas e interessantes pela casa ("strewing"), partilhando, descobrindo juntos, aprendendo ao mesmo tempo, criando um ambiente de aprendizagem, interessado e interessante.

Por isso, se o "unschooling" é novidade para si, a Sandra [Dodd] tem uma boa sugestão: "Leiam um pouco, experimentem um pouco, esperem um pouco, observem."

Demora algum tempo a percebê-lo e a integrá-lo efectivamente. Tenho estado a ler e a aplicar os princípios do "unschooling" há quase 8 anos e ainda estou a tentar chegar lá. A maior parte de nós tem um mínimo de 13 anos de escolaridade e algumas pessoas bem mais que isso. Coloquem questões e fiquem a reflectir nas respostas, releiam-nas, pensem nelas, leiam-nas de novo, experimentem-nas, esperem um pouco e observem!

Portanto, tudo isto para dizer que, se alguém pretende fazer "unschooling" pensando que vai ser apenas ficar sentado enquanto os filhos tratam de si próprios e que é canja, não se iludam! O que não quer dizer que não seja maravilhoso e, sim, mais fácil e mais pacífico, mas não da forma que muitos pensam que é.

Alex Polikowsky


Notes from the editor, Sandra Dodd:
I made a few slight editorial changes to the English part, so it's not exactly as it appeared in the original, but I didn't leave out or add or change meaning.

Here's one of the paragraphs, with links to more information embedded in it, just a click away:

Unschooling is not letting children take care of themselves or work out things alone or without help and guidance, it is not letting them do whatever they want, it is not about freedom, it is not about only saying yes, it is not about letting them figure out things by themselves, it is not child-led learning.
More by and about the author More in Portuguese More definitions and descriptions of unschooling